Avina
Estrategia para el Bioma Amazónico

Contexto
Aproximadamente 20% das emissões de gases de efeito estufa em escala mundial são resultado da devastação de florestas e da exploração do solo, segundo o Intergovernmental Panel on Climate Change. Na América Latina, mais de 60% das emissões de efeito estufa provêem do desmatamento, e uma parte significativa deste concentra-se na região amazônica, a qual avança para um processo de colapso de seu ecossistema dentro de 15 a 20 anos, se for mantido o atual ritmo de desmatamento. Este processo reduzirá sua habilidade de capturar o carbono da atmosfera e perturbará o regime das chuvas de todo o continente.

 

Oportunidade identificada pela AVINA e seus aliados
Contribuir para a conservação de 80% da região, a fim de garantir a sustentabilidade do ecossistema e a adequada qualidade de vida das populações locais, para que não se ultrapasse o patamar de 20% de desmatamento.

 

Estratégia compartilhada de ação
A estratégia desenvolvida pela AVINA e seus aliados está centrada em fortalecer a transparência florestal, incentivar uma nova economia ambiental compatível com a permanência da floresta e promover a valorização das culturas e o conhecimento das comunidades na região. Esta estratégia prioriza o papel dos participantes locais e sua visão de mudança, fortalece-os e promove sua liderança. Envolvemos aliados internacionais que potencializam a capacidade e a institucionalidade regional nos países da bacia amazônica para cuidar de seu patrimônio em benefício próprio e do planeta.

 

Alianças internacionais
Nossos principais aliados continentais e co-investidores para esta oportunidade são:

  • A rede Articulação Regional Amazônica (ARA), convocada pela AVINA e composta por 24 organizações latino-americanas atuantes na região amazônica:
  • A Skoll Foundation, com a qual estabelecemos uma aliança para co-investir US$ 6 milhões, em partes iguais, durante três anos:
  • A Packard Foundation, para promover a redução de emissões pelo desmatamento no Brasil.

 

Maria Judith León e Maria Jesús León da etnia tatuyo, da Colômbia, integram o grupo de mulheres da Associação de Dirigentes Tradicionais Indígenas do Pirá Paraná (ACAIPI), as quais, sob a direção dos Chamanes e das mulheres idosas, recebem os ensinamentos e práticas tradicionais relacionadas com os alimentos silvestres e os cultivos específicos das diferentes fases do ciclo anual.

Vista aérea da Amazônia colombiana onde rios como este ditam o funcionamento ecológico da floresta tropical.

 

 

Publicação do Mapa RAISG
Foi lançado pela primeira vez, em março de 2009, um mapa pan-amazônico de áreas conservadas e reservas indígenas de toda a bacia, elaborado pela Rede Amazônica de Informação Socioambiental Georreferenciada do Brasil (RAISG), com a colaboração da AVINA, entre outras instituições de distintos setores. A Amazônia considerada neste mapa tem uma extensão de 7,8 milhões de km2 e compreende uma ampla diversidade socioambiental, compartilhada por mais de 370 povos indígenas e uma população de aproximadamente 33 milhões de pessoas.

 

Empresas brasileiras exigem do governo posicionamento sobre metas climáticas
Mais de vinte empresas brasileiras, reunidas no seminário “Brasil e a mudança climática: oportunidades para uma economia de baixo carbono”, elaboraram uma carta aberta por meio da qual exigiram do governo desse país um posicionamento explícito sobre metas climáticas. Neste espaço de debate, promovido e impulsionado pelo Fórum Amazônia Sustentável, o Instituto Ethos e a empresa Vale, buscou-se definir um posicionamento representativo do setor privado brasileiro frente à 15ª edição da Conferência das Partes (COP15), realizada em dezembro de 2009, em Copenhague. A AVINA apóia o Fórum Amazônia Sustentável desde sua criação e colabora ativamente em sua articulação com outros atores da sociedade.

 

Novo Parque eleva sua superfície protegida para 30 milhões de hectares na Amazônia colombiana
Com o estabelecimento de um novo Parque Nacional Natural, com uma extensão de 1,8 milhões de hectares, a superfície protegida da Amazônia colombiana já beira os 30 milhões de hectares, ou cerca de 90%. O parque faz parte do patrimônio indígena Apaporis-Yaigojé, reserva que pela primeira vez será mantida segundo a cultura dos indígenas, responsáveis pelo território. Embora a AVINA não tenha apoiado diretamente a criação do parque, a Articulação Regional Amazônica (ARA) da Colômbia, rede impulsionada pela AVINA, foi uma parceira chave para fortalecer todo o processo de negociação.

 

Fundo Amazônia recebe US$ 40M do BNDES para cinco projetos
O Instituto do Homem e Meio Ambiente (Imazon), parceiro da AVINA, receberá US$ 5,7M do Banco Nacional para o Desenvolvimento Econômico e Social do Brasil (BNDES), para mobilizar as comunidades de 11 municípios do estado do Pará, reunir dados ambientais e rurais e acelerar a adesão dos proprietários de terra ao Registro Ambiental Rural. Impulsionado por Tasso Azevedo, parceiro da AVINA, o Fundo busca captar doações para investimentos não reembolsáveis em ações de prevenção, monitoramento e combate ao desmatamento do bioma amazônico.